Precisamos de Betânia

Uma das queixas das pessoas atualmente é a falta de tempo e o estresse. As jornadas parecem curtas para resolver e fazer tudo quanto necessitamos. Além disso, nós, frequentemente, as findamos sentindo-nos exauridos, sem forças. Por vezes, começamos a jornada seguinte com o cansaço da anterior.

É por isso que precisamos de Betânia. Esta era uma pequena cidade próxima a Jerusalém. Ali, moravam Marta, Maria e Lázaro. E Jesus, algumas vezes, ia ter com eles para compartilhar a vida e alimentar a amizade. Betânia quer, pois, significar: acolhida, amizade, repouso, partilha.

Nós precisamos desses oásis existenciais para poder seguir em frente. Do contrário, seremos devorados pelo monstro voraz da agitação atual. O Senhor deu-nos o exemplo a seguir, indicando-nos que precisamos dar espaço e provocar os momentos de distensão em que podemos compartilhar a vida e fazer a experiência do abraço amigo que nos acolhe, não nos julga e, por isso, torna possível a partilha da vida, com tudo aquilo que ela comporta. Nada melhor que sentir-se acolhido e ter ombros onde repousar a cabeça!!!

Cultivar as amizades, propiciar relações autênticas, provocar encontros nos quais é possível falar com liberdade e sem formalidades é uma necessidade da sociedade atual, que vive de papéis e da aparência.  Nesse sentido, é verdadeiramente um tesouro poder contar com possibilidades desse gênero.

Há alguns anos atrás, ganhei um pequeno quadro que dizia: “O círculo da amizade é um lugar de aconchego e carinho, onde as pessoas se encontram para ouvir e compartilhar; um lugar de bondade e confiança, de lágrimas e de risos também”.

Se na nossa vida afetivo-social precisamos cultivar relações e espaços, o mesmo se diga para a nossa vida espiritual. Precisamos encontrar Aquele que é o Amigo por excelência e estar com Ele. Falar-Lhe das nossas dores e alegrias, das nossas dúvidas e inquietações.

Betânia, assim, pode ser o nosso quarto, o nosso silêncio interior, pode até ser o ônibus lotado, a rua com o vai e vem das pessoas, quando o nosso coração se sintoniza com o Senhor.


Mas de um modo especial, Betânia é o Sacrário de cada Igreja, onde o Senhor Se faz encontrar e está sempre pronto a nos escutar. Precisamos, no nosso vai e vem, ainda que de forma mais breve, cultivar o salutar hábito de ir-Lhe ao encontro, de visitá-Lo,  permanecer com Ele e deixar-se iluminar pela luz de Sua face.

Sem dúvida alguma, a permanência com o Senhor alimenta a nossa fé, revigora as nossas forças, suaviza as nossas dores e torna-nos mais firmes para irmos à cidade grande, como ia Jesus a Jerusalém, expressão simbólica da vida com todas as suas teias de situações.

Vivificados por um Presença e abrasados por Seu amor, não só enfrentaremos os desafios da realidade, mas a iluminaremos, com a luz que do Senhor recebemos. Precisamos de Betânia!!!!