Irradiar a alegria

O nascimento de uma criança é sempre motivo de alegria e isso explica porque celebramos a festa litúrgica de São João Batista com tanta festa. Esta se tornou uma realidade que integra a cultura do povo nordestino. A celebração transbordou o espaço litúrgico e foi para as ruas.

Os festejos em honra do santo ganharam um colorido todo especial: música própria, o forró, acompanhado também de dança específica, que encontra nas quadrilhas a sua mais alta expressão. Comida típica: canjica, pamonha, amendoim, laranja, e tantas outras iguarias que a criatividade de nossas vovós e mamães nos presenteia e nos faz aumentar uns quilinhos. Ah! Outra coisa interessante são os ornamentos: as flores artesanais, as bandeirolas, as vestimentas.

Porém o elemento mais interessante, que julgo importante manter vivo é o sentimento de fraternidade e alegria que envolve esta festa, manifestado no caráter hospitaleiro e acolhedor. Recordo da minha meninice e adolescência que saíamos, de porta em porta, perguntando: “São João passou por aí?” E os vizinhos nos acolhiam e nos ofereciam o que tinham preparado. Na mesa sempre se encontrava um licor, laranja, amendoim e doces. 

Existem coisas que não podemos deixar morrer, porque elas escondem valores profundos. Reconheço na festa de São João uma oportunidade de vivermos a cultura do encontro, momento de estarmos juntos, saindo de nós mesmos. É importante, mesmo nesses tempos difíceis, viver a alegria de acolher e também a de visitar. Por isso convido a todos a visitar os familiares, vizinhos e amigos, dizendo-lhes: São João passou por aí? Com certeza, vocês vão viver a alegria de ouvir e de também dizer: passou sim, vamos entrando!!!

Feliz São João a todos!!!!

Padre Pedro Júnior